Lesão prolongada - Alteração biomecânica?

Tópicos em 'Pergunte ao Fisioterapeuta' iniciados por mpercheiro, 12 Sep 2018 at 15:45.

  1. mpercheiro

    mpercheiro Membro

    Boa tarde,

    Sou um jovem de 31 anos que em 2001 (há 17 anos) fez uma rotura do Ligamento Cruzado Anterior.

    Após esta lesão, andei durante anos à espera de um diagnóstico certo e verdadeiro, pois entre ecografias e Rx ninguém se lembrou de me fazer uma ressonância magnética. Posto isto, em 2005 sou sujeito a uma operação cirurgica onde me é feita uma meniscectomia mas onde o ligamento, por qualquer razão que ainda hoje desconheço (talvez pela minha idade?), não é reparado. Tal facto resulta na manutenção da instabilidade; em recaídas várias; e na perda de muita massa muscular do quadricipe. O tempo vai passando, e em 2013 sou novamente submetido a uma cirurgia, desta vez para reconstrução do LCA. A cirurgia decorre sem problemas, mas, no pós-operatório é a minha parvoíce e excesso de confiança que estragam o resultado: a descer despreocupadamente umas escadas com as muletas, as mesmas escorregam e obrigam-me a ir com o joelho recém-operado ao chão, rompendo parcialmente o novo enxerto ligamentar. Isto traduz-se pois na manutenção da instabilidade do joelho, e na manutenção da situação da massa muscular do quadrícipe que desde há vários anos parece não "desenvolver" não importa o quanto eu faça para que isso aconteça.

    Chegamos a 2018 e estou em vias de ser operado novamente, e espero que pela ultima vez, para repor o LCA. Confio bastante no médico que me vai operar pois só tenho ouvido bom feedback. Será o Dr. Pedro Pessoa.

    A razão que me leva a escrever este tópico é o seguinte: dada a duração entre a lesão original e esta derradeira cirurgia (os tais 17 anos), é possível que o meu joelho tenha agora uma "nova forma", ou seja, terá esta prolongada lesão causado alterações biomecânicas ao meu joelho que potenciem nova lesão, mesmo com o ligamento cruzado restabelecido?

    Desde já o meu muitíssimo obrigado a quem me responder.

    Cumprimentos,

    Manuel Percheiro

Partilhar esta página